quinta-feira, 29 de março de 2007

Façam boa viagem!



Anda esta gente toda preocupadinha com o facto de Salazar ter ganho um concursozeco, e estes senhores a fazerem campanhas contra a imigração, de uma forma extremamente xenófoba.

O Partido Nacional Renovador lançou esta semana uma campanha contra a imigração onde se pode ler nos outdoors algo como: «Façam Boa Viagem!» e um aviaozito ao lado. É claro que podemos desvalorizar a iniciativa, já que a mensagem é tão idiota que dificilmente alguém a vai seguir.
Sim, já sei, ah e tal a extrema direita e essa gente do mal, o povo segue essas coisas porque está em crise. Right! O Anacleto também foi para Espanha com os seus amiguinhos do Berloco cheios de tacos de baseball e mais não sei o quê e isso passou e ninguém falou na péssima influência que é um partido quando quer reivindicar alguma coisa usando-se da estupidez e da violência aproveitando-se de períodos de crise internacional. Não é por aí!

Estes anormais têm de ser afastados, sejam os de extrema direita ou de esquerda. Quando para uma eleição para a Associação de Estudantes na Faculdade de Letras (UL) as duas únicas listas são de militantes do PNR e da JCP acho que está tudo dito.
As extremas estão a crescer, mas é claro que a direita é mais evidente (para alguns, porque depois há outros que compreendem o fenómeno político na generalidade, são é poucos), o que não quer dizer que esteja a ganhar adeptos. Digamos que estava meia adormecida, à espera do momento certo e agora ataca mostrando-se forte e dando a ilusão de que está a crescer.

Existe um perigo de crescimento da extrema direita? Não o posso negar, é claro que esse crescimento constitui um perigo e pode ser um atentado à democracia, mas também o é da parte da extrema esquerda tão protegida em Portugal e que se tem vindo a manifestar ao longo dos tempos. A ameaça das extremas é isso mesmo, uma ameaça, que se pode tornar numa acção mais concreta e resultar em grandes movimentos. Mas ela não é mais forte na esquerda ou na direita, ela é igual nas duas.

É por este motivo que faço uma campanha agressiva contra as acções políticas das extremas e por um maior controlo das suas violações constitucionais. Neste caso sou eu que lhes digo:
«Façam Boa Viagem!»

5 comentários:

GRaNel disse...

O post fala em duas realidades alarmantes. Curiosamente, e a meu ver, pegas na menos preocupante. Acho que a questão da imigração merece bem mais a nossa reflexão porque é inequivoca a nossa íncapacidade no momento de receber mão-de-obra exterior. É evidente que tal não deve ser feito por movimentos radicais e desta forma leviana e xénofoba mas parece-me evidente que o Governo deve tomar medidas concretas de restrição e de controlo.

Quanto à segunda questão, quero, quero mesmo, acreditar na inteligência das pessoas... e na extinção natural de movimentos desta indole.

jorge c. disse...

Não toquei nessa questão porque não era a intenção do Post. A imigração merece um capítulo especial onde, é claro, estaria parte deste, mas não o contrário. A ideia foi mesmo a dos extremos.

Marta Araújo disse...

Lá vou eu parecer cão de fila
outra vez mas whatever...

Concordo com o facto de os extremos, no contexto político, estarem a crescer a passos largos e sinceramente é algo que me preocupa e digo, desde já, frisando que é apenas a minha opinião - que vale o que vale -, que não confio assim tanto na inteligência das pessoas.

Infelizmente, ou não, mas neste contexto sim, a sociedade vive de ciclos e á medida que vai apercebendo que a democracia não é uma panaceia para todos os males vai tendo tendência para se extremar e procurar "novas soluções". Os extremos são sempre perigosos, como é lógico, mas acho que, mais dia menos dia, e porque "eles andem aí" é esse tipo de força que vai chegar ao poder, isto perante a cada vez mais crescente descredibilidade da classe política que temos no centro.

Quanto à questão da imigiração, que é obviamente muito importante, parece-me que deve ser discutida num "capítulo especial" porque se trata de uma questão com várias vertentes e problemáticas adjacentes (adjacentes é muito bem lol).

Rui Vieira disse...

O extremismo político (ou de qualquer outra forma) é algo intoleravel numa sociedade desenvolvida. Não posso estar mais de acordo com o Jorge. Não vou comentar a campanha desse movimento fascista, por achar que já tem demasiado tempo de antena para a importância que merece.
P.S. Jorge, por favor consulta este link :
http://www.publico.clix.pt/linguistica/duvida.asp?id=1667

...é que por instantes fizeste-me questionar os meus conhecimentos vocabulares.

jorge c. disse...

tens toda a razão. Ando a dar este erro há algum tempo, não sei porquê. Mas já é a 3ª ou 4ª vez que me acontece e não emendo. Às vezes acontece-me desatinar com palavras e errar constantemente. Mas muito obrigado pela chamada de atenção.