terça-feira, 1 de maio de 2007

As Maias




"O Culto das Maias


É tema vasto e dinâmico, interessante e dialéctico a mobilizar historiadores, linguistas e etnógrafos na senda de explicar a origem e afirmação em Portugal. As hipóteses e teses formuladas são várias e divergentes; mas, numa coisa estão todos de acordo e que reside na práxis de no dia 1º de Maio colocar um ramo de flores, cereais ou ramagens de arvoredos nas searas e nos campos, nos cruzeiros e portas de igreja, nas portas e janelas das habitações, nos carros de bois e orelhas dos animais (principalmente dos rebanhos ovinos e caprinos), nas camionetas e tractores, nas locomotivas e nos barcos, etc.,etc..

As explicações e razões do feito assumem contextos geo-estratégicos, religiosos e étnico-culturais bem diferentes.

Assim, a tradição simbólica afirma a Maia ser uma ninfa que abrigava o amor do deus Zeus numa caverna e ser a mãe de Hermes. No entanto, a tradição romana opina a Maia ser uma ninfa diferente da arcadiana e personificar o despertar da natureza e afirmar-se como sendo a deusa da fertilidade e propulsora da energia vital.

Outros, invocam como sendo a deusa Flora passível de traduzir o florir das árvores. Este conceito foi introduzido em Roma e Fides por Tito Tácios de parceria com outras divindades sabinas e deu origem a que os povos romanos (não latinos) consagrassem o primeiro mês da Primavera (Abril no calendário romano) à festa das Florálias maximizada em jogos de cortesia.

Por sua vez o mundo católico associa o culto das Maias à Salvação de Cristo explicado no facto de aquando da perseguição movida pelos Judeus visando matar Jesus, este se refugiar numa habitação em que os judeus colocaram um ramo de giestas à porta para na manhã seguinte O prender. No entanto, durante a noite todas as portas receberam ramos de giestas o que impossibilitou a identificação da casa em que Jesus se abrigara e por consequência a Sua Salvação.

Outras explicações coexistem na imaginação poética e popular e um facto não negado é o desde tempos ancestrais na noite do 1º de Maio lançar-se as Maias e apor-se flores e ramagens nas janelas e portas, nichos e cruzeiros, carros e bicicletas, animais e locomotivas, etc., visando honrar e cantar o amor, saudar a natureza e início do ciclo agrário, ou tão pouco apelar à protecção contra os demónios e maus olhados."

Correia Góis

2 comentários:

GRaNel disse...

Tradições que se vão perdendo... infelizmente.

Cláudia N. disse...

Tó obrigada por teres feito este post em relação às Maias, é sem dúvida um tema que acho fascinante, porque é uma tradição antiga, que espero que se mantenha por muito tempo, pois gosto muito de na noite de 30 de Abril para 1 de Maio ver as portas das casas com um raminho de Maias, é uma imagem muito bonita.E, confesso que também eu coloquei o raminho à porta.