sábado, 21 de abril de 2007

Para lá da música, mais do que um livro... um sentimento

Todos os dias a vida nos atropela em espirais de velocidade furiosa. Acordar, preparar para enfrentar o mundo lá fora, trabalho, estudos e outros compromissos, cafés tomados à pressa entre conversas vazias e de circunstância, noites que se querem animadas sabe se lá bem por quê, álcool e outros que tal, envoltos em música que berra e os amigos que vêm e vão. Pessoas que se cruzam, que partilham o nosso tempo, que riem, conversam, dançam e bebem copos, tanta gente nas nossas vidas, tantas vidas cheias de gente. E no final, de regresso a casa, ainda com o turpor da corrida , o que fica para além da estranheza do silêncio e da solidão? Que recebemos dos nossos amigos e o que lhes demos no dia que passou?

A Amizade: este foi para mim o grande tema da sessão que a Marta nos trouxe na passada terça-feira.

Por um lado, amizade que a une ao Tiago, amigo de todas as horas e momentos, para lá da presença presa ao tempo e ao espaço. Numa última homenagem ao que foi o irmão de coração e de alma, partilhou connosco algumas das histórias mais marcantes da vida dos dois, e nelas encontramos a cumplicidade, a empatia, a partilha de destinos. Embalados pelos olhos inundados de ternura e saudade, também nós, meros espectadores, fomos capazes de sentir o tamanho desse sentimento que escapa ao tempo, à distância e se mostra maior do que os limites da própria vida.

Por outro, amizade que a Marta nos depositou no colo, ao nos convidar para entrar nos quartos privados do seu coração, em visita guiada aos sentimentos que alimenta e acarinha por cada um de nós. Se é certo que todos somos capazes de sentir, de nos emocionar, de amar no sentido mais puro, quem consegue admitir, de forma aberta e espontânea, sem se sentir ameaçado pela ideia incutida pela sociedade, de que abrir o coração é para os fracos, e que se ousarmos fazê-lo, vamos apenas mostrar o caminho para que seja possível alguém nos magoar e destruir a beleza resgatada ao turbilhão de todos os dias? Quem não se sente paralizado pelo medo, sempre que o coração grita por deixar sair palavras como gosto muito de ti, faz me feliz ter te a meu lado, ou mesmo outros gestos que as traduzem ? E vencido por esse receio, tudo que se diz é então, tudo bem?... E continuamos a nossa vida de sempre, com os sentimentos fechados a sete chaves e as mãos acorrentadas aos bolsos, até que seja tarde de mais.

Nesta noite, a Marta venceu este medo. E nós soubemos que afinal somos as pérolas da joia mais valiosa que pode existir: amigos, cada um de nós único, que juntos damos sentido à palavra Amizade. E, apesar dos dias que cada um de nós possa ter, das suas tempestades e turbilhões, temos também as noites neste Pinguim, que junta aos copos, à música e às conversas banais, a Amizade que nos faz querer sempre voltar. Importante é não deixar chegar o momento em que se pensa como teria sido bom iluminar os cantos escondidos do coração ... caso não fosse tarde demais...

Marta, pela tua coragem em vencer os medos, em te mostrares na pessoa linda que és, obrigada amiga. Se nós somos as pérolas, tu és o diamante, único e inestimável, que transforma a luz esquecida em arco-íris de magia.

9 comentários:

GRaNel disse...

Desculpem-me a expressão mas,... dass, que post. Delicioso.

Renovo os parabens e os aplausos à sessão da Martinha e agradeço a confiança que depositou em nós neste novelo de sentimentos, que foi a sua sessão.

Resta-me dizer, a todos os Pinguins, obrigado por existirem.

Cláudia N. disse...

Ao ler o post da sessão não tenho dúvidas de que deve ter sido uma sessão inesquecível e muito especial, e sempre com a doçura da Marta como pano de fundo.
O post está muito bonito, e cheio de magia. É mesmo uma delícia lê-lo.
Um beijinho muito grande para a Ana e para a Marta e parabéns. São momentos como este que fazem com que a vida seja mais formosa …

fil disse...

A sessão pôs-me a ouvir músicas que me acompanham nas perdas. O Renato Russo, por exemplo, aquele do post abaixo. Entre mil maravilhosos versos das suas canções há um que fica para quem perde alguém: "[Digam o que disserem]/ os nossos dias serão para sempre".

Aguia disse...

Bem... clap clap clap clap, mil clap´s que post magnifico... muitos parabens.
Quanto a sessão, fui atropelado pelo amor que a marta tem pelo seu amigo...
Marta roubaste-me as palavras na sessão. Parabens

um grande beijo

Gemma disse...

Não vou tentar dizer mais do que obrigado. Á Marta, pela confiança que depositou em nós na sessão que apresentou, e á Ana, pelo post brilhante. E agora vou me calar e deliciar nas memórias da sessão e sentir as palavras do post.
Muitos parabens

GRaNel disse...

Desculpem-me mas,... foda-se outra vez, depois da sessão e do post, agora um comentário genial e profundamente sentido. Parabéns a todos. Se estivesse tocado diria... adoro-vos. Como não estou digo apenas que são todos muito especiais... lllooolll

Arianrhod disse...

Um abraço do fundo da alma acompanhado com um sorriso cheio de orgulho... é assim mesmo sôtôr!!!! E também tu és muito especial (no sentido "normal" ;-D da palavra)e com surpresas tão boas como esta, que bom seres nosso Amigo!

jorge c. disse...

E agora? Eu um fala barato sem palavras! Que Grande Post! Mas é claro que este post só existe por causa da sessão cheia de amor que a Marta nos deu. Não tenho muito a dizer senão agradecer por ter amigos como vocês! Todos sem excepção! Embora longe, estão todos aqui bem pertinho!
Um grande beijo e um abraço para todos.

Marta Araújo disse...

Penso que já mais ninguém deve comentar o post...por isso acho que está na altura ideal de escrever o mais sincero OBRIGADA à Ana pela post sobre a minha sessão. Em algumas partes eu diria menos, muito menos, a sério (são elogios a mais)...mas se alguma dúvida eu tinha relativamente ao facto de os presentes na sessão terem recebido a minha mensagem sem rúido, depois de ler o teu post, essas dúvidas acabaram.

A todos os presentes na sessão agradeço o facto de me terem aturado naquilo dia e os comentários cheios de carinho que deixaram aqui. Obrigada.