quarta-feira, 18 de abril de 2007

Esclarecimento Público

Nesta última Terça-Feira, aconteceu uma situação algo desagradável, para todos os envolvidos, no Clube dos Pinguins. Um casal que já tinha estado em sessões anteriores desceu na Sessão da Marta, situação à qual a Mestre de Cerimónias era alheia e como tinha deixado claro que a sessão era fechada, pediu para que não entrassem porque não os reconheceu.
A reacção das pessoas não foi obviamente a melhor. No entanto há algumas coisas que devem ser devidamente esclarecidas para que não restem mal-entendidos.

As sessões fechadas acontecem por vontade do apresentador. Por uma questão de confiança, entende-se que um membro do Clube dos Pinguins é um elemento assíduo, pois por vezes (tal como na última terça-feira) as sessões têm de um carácter mais intimo e a partilha exige um conforto extraordinário da parte do apresentador.

O Clube apresenta desde já as suas desculpas se a forma como foi transmitida esta informação na altura não foi a mais adequada, garantindo que não houve qualquer intenção discriminatória naquele momento. A falta de entendimento não deve ser motivo para não regressarem.

As regras do Clube dos Pinguins estão estabelecidas no Blog e as informações da sessão devem ser dadas ao Paulo Pires pelo apresentador responsável pela sessão.

Fazemos todo o gosto que voltem até para que este pequeno incidente fique bem esclarecido de parte a parte.

Os nossos cumprimentos!

6 comentários:

Marta Araújo disse...

Eu, de facto, não reconheci as pessoas. Se, de alguma forma, fui indelicada ou algo do género peço desculpa mas não foi, de todo, de propósito.

GRaNel disse...

Tambem eu não as reconheci e por isso não disse nada mas diga-se, em abono da verdade, que apesar de terem aparecido uma ou duas vezes, este casal não faz parte do clube. E não faz por uma razão muito simples. Não preenchem o principio da regularidade e portanto são conhecidos mas não membros efectivos.

Quanto à noite em si, parece-me que não passou de um mal entendido e que mesmo após ter sido esclarecido (lembro-vos que subi para vir ao bar poucos segundos depois) o dito casal não quis descer por achar que tinha sido mal tratado. Logo, não me parece pertinente a discussão que tivémos lá em baixo nem este post. Não admito que quem aparece só quando o rei faz anos ponha em causa o funcionamento do clube e muito menos, as pessoas que o constituiem. Eu estava lá e a única coisa que foi dita foi "A sessão é fechada". Se realmente fossem do clube teriam dito "Pois bem, nós fazemos parte". Mas não foi assim pois não?

Para terminar, devo só dizer que temos de nos articular melhor com o Pires e deve ser função do apresentador definir junto dele, no inicio da noite, as regras da sessão.

Se calhar fui duro mas... à verdades que têm de ser ditas.

filinto disse...

Como rookie, gostava apenas de salientar que o blog é um apoio e, como refere o "admnistrador" neste post, a Marta explicou bem no seu post-anúncio que seria uma sessão especial.
Se o blog é aberto deve ser utilizado e aproveitado.
Apesar de rookie, tenho a certeza que este post, e o comentário do Granel, não visam afastar ninguém mas simplesmente perceber, e eventualmente debater, a melhor forma de nos "organizarmos".

Rui Vieira disse...

Como diz o Granel a situação poderia ter sido facilmente obviada, mas por motivos que não urge explanar, tal não aconteceu.
O que importa do sucedido, é questionar como evitar situações de constrangimento futuras.
Dado as sessões fechadas serem ocasionais, creio ser legitimo alertar o Paulo para a situação de modo a não ser "apanhado" desprevenido.
Esta situação leva-me também a questionar o estatuto de membro. Dado o crescimento do Clube e a irregularidade da frequência dos seus elementos, julgo estar na hora de introduzir um novo requisito. Só pode ser membro de pleno direito quem já tiver apresentado uma sessão. Não pretendo com este requisito inibir a entrada de novos elementos, mas antes transmitir-lhes a dificuldade de apresentar uma paixão. Só quem já esteve do "outro lado" pode perceber a necessidade de algumas sessões serem fechadas.
Aproveito ainda para trazer à liça o estatuto de "presidente" da sessão. No 1ºciclo do Clube, todas as noites, e num principio de antiguidade, havia um "presidente", que fazia as honras da casa e apoiava o apresentador. Este elemento vai conquistando cada vez mais auto-segurança e autoridade para dirimir pequenas questões que ocasionalmente surgem.
Espero ter trazido algumas sugestões para libertar as paixões de eventuais "ruidos".

luis e clara disse...

Gostariamos de aceitar as desculpas da Marta Araújo aqui neste blog, simples e sem mais "lenha para a fogueira". No entanto, nao podemos de deixar de responder "à letra" ao "Granel", porque também achamos que "à verdades que têm de ser ditas":
1. ao contrario do que dizes, ja fomos pelo menos 5 vezes ao clube dos pinguins, tendo sido muito bem recebidos, diga-se em abono da verdade;
2. nesse dia, chegamos ao pinguim e o Paulo perguntou-nos se nao desciamos, explicando que era uma sessão fechada. Nos pedimos esclarecimentos, ao que o Paulo respondeu que poderiamos participar dada a nossa participação em sessões anteriores;
3. se o Granel so nos viu numa sessão, é porque faltou às restantes, porque até temos sido bastante interventivos;
4. Não pusemos em causa o funcionamento do Clube, alias se nos convidaste para descer após a confusão da nossa entrada admitiste a pertinência da nossa presença;
5. o Paulo demonstrou a sua consternação pela situação, dado ter sido ele a esclarecer o funcionamento da sessão e a nossa inclusão namesma, além de ser o dono do espaço como foi referido; Por isso tambem nao concordamos com os teus comentários. Ate porque não coincidem com o que afirmaste no próprio dia.

Sem "espiga"....acho boa a proposta de para ser socio apresentar uma sessão.
Luis e Clara

GRaNel disse...

Ao comentário que escrevi só faço uma correção. Quando escrevi "à verdades que têm de ser ditas" queria escrever obviamente há verdades que têm de ser ditas. De resto, não retiro nem uma virgula.