terça-feira, 13 de junho de 2006

Outras Marchas


Ontem à noite marcharam sobre a Avenida da Liberdade, em Lisboa, os bairros desta cidade como já é habitual desde 1932 nestas noites de Sto.António.
Embora o Santo Padroeiro da cidade de Lisboa seja S.Vicente, Sto.António é o padroeiro de todas as casas lisboetas e, por tal, juntam-se as casas, as ruas e juntos desfilam com o seu bairro avenida abaixo. A marcha é linda!
Mas a festa não está só aqui! A festa faz-se em cada bairro, em cada rua desta cidade! O cheiro das sardinhas e do vinho tinto no ar, o arraial em que todos dançam, novos e velhos.

Hoje os tempos são outros e à tradição dos Santos Populares juntam-se novos ritmos, novas danças! Do kizomba ao mais alucinante electro-clash, de Luanda a Kiev todos dançam e cantam! A cidade está em festa! Talvez Lisboa acorde algumas vezes e nos faça abrir os olhos também. Mas há alturas em que ainda podemos sentir Lisboa antiga e sonhar!

Ontem e hoje esqueci as sombras de Lisboa, os dealers, os junkies, os chulos, as putas, a miséria, a violência. Ontem e hoje cantei o fado e olhei cá de cima do Castelo com a Mouraria a meus pés, vi Lisboa, vi o Tejo! Desci tudo por Alfama e voltei a subir até ao Bairro Alto, passando antes pelo Chiado. As ruas enchem-se de sorrisos e alegria, do Mercado da Ribeira ao Alto Pina. Como é linda esta cidade! Esquecemos que os tempos são outros!

Tudo seria perfeito se eu não estivesse em S.Mamede de Infesta a estudar para Teoria Geral da Relação Jurídica! Por momentos fechei os olhos e vi Lisboa menina e moça!
Como diria Vinicius «e tudo se acaba na 4ª feira»!

(Por falhas no blog não consegui publicar este post na 3ª feira e por isso peço desculpa)

2 comentários:

Rui Vieira disse...

Ainda bem que não sou teu professor, Jorge! alguém que interrompe o seu estudo para um exame e faz uma dissertação sobre a beleza de Lisboa, não me parece que esteja muito compenetrado!!!
Mas como de facto não sou teu professor, a verdade é que descreveste uma bonita imagem de Lisboa.
Padecemos demasiadas vezes de um certo provincionalismo que nos diz que apenas S. Mamede, perdão o Porto, é bonito e com isso ignoramos o resto da Nação.
Nota final, marchas de Sto António... Salazarento, hehe

rodrigues76 disse...

Cada um de nós tem uma mãe adoptiva, gostamos dela, mas só a distancia nos dá esta consciencia de terra mãe. As minhas marchas chegam esta sexta feira e espero reencontrar o meu calor maternal...