terça-feira, 20 de junho de 2006

Cenas Suspensas



Durante a última semana de Maio até ao dia 8 Junho esteve, na estação de Metro do Campo 24 de Agosto, a exposição "Cenas Suspensas" onde figuravam várias marionetas de vários espectáculos do Teatro de Marionetas do Porto (TMP). A exposição estava integrada na programação do Fitei, que desde o ano passado, durante o festival, faz uma exposição sobre a temática cénica nesse local. Como desta vez até pinguins apareceram, resolvi partilhar com voçês estas imagens.
A exposição era grande e imponente. Não passava despercebida a ninguém, mesmo o madrugador transeunte meio adormecido reparava e parava para ver a "bonecada" que por alí pairava. O único senão desta exposição era o horrível background que a estação "forrada a casa de banho" em si proporcionava. As cenas em volta das ruínas funcionavam muito bem e até ganhavam alguma imponência, mas as que ficavam juntos às paredes de azulejo perdiam muito peso e pareciam enclausuradas dentro de uma casa de banho. Quem está habituado ao poder das imagens que o TMP nos habituou, com um desenho de luz rigoroso, um jogo de luz e sombras brilhantes e cores realcadas pelos contraluzes, decerto teve um choque ao deparar-se com tanta "merdaleija".

Para quem não viu a exposição e estiver interessado pode ver aqui mais fotos da mesma.

7 comentários:

Jorge Carvalho disse...

Isto sim uma boa iniciativa! Espalhar a cultura pela cidade porque é ao povo que ela pertence, ou melhor, a toda a Humanidade.

Uma cidade que mostra a todos aquilo que se faz dentro do seu panorama cultural só pode ser uma cidade rica, pois um dos dos seus principais objectivos comunitários é assim cumprido, em parte - a cultivação e consequente educação livre das massas!

É de enaltecer e incentivar para que não se pare.

A Arte é do povo!

Marta Araújo disse...

Apesar dos azulejos que de facto destoavam no cenário, a exposição na estação de metro 24 de Agosto foi, de facto grandiosa. E grandiosa no verdadeiro sentido da palavra porque realmente era impossível não ver que o espaço tinha algo de diferente e, por outro lado, porque o conteúdo da mesma estava muito interessante. Eu frequento, quase diariamente, aquela estação de metro e confesso que me assustei quando vi, pela primeira, as gigantes personagens no local. Vi o entusiamo, e o brilho nos olhos, de miúdos e graúdos que visionavam a exposição e, de facto, é de louvar a iniciativa de descentralizar os palcos que acolhem arte, seja ela de que género for.

Rui Vieira disse...

Infelizmente, essa foi uma iniciativa que não tive oportunidade de apreciar. Trazer desse modo a Arte para a Rua é sempre louvavel e merece obviamente ser por todos acarinhada.
Não posso deixar de realçar a qualidade das fotos. Parabéns Hugo e obrigado pela partilha.

hörster disse...

Excelente iniciativa!
E muito se poderia dizer sobre arte e sobre levar a arte até ao povo. Actualmente a única arte com que o povo é bombardeado é a arte publicitária. Já não é mau!... Penso que não corremos o risco de ser bombardeados com outros tipos de arte e ver assim os nossos espaços poluídos de arte mas talvez a exposição de arte devesse ser regulamentada... não?

Pena eu não andar de metro.

Parabéns Hugo Valter!

rodrigues76 disse...

Buáááááááááá........
Pois, não consegui ver... Mas quanto à arte na rua... É essencial! É para isso que ela serve! É assim que se deve fazer! Infelizmente no nosso pais ainda não se vê o suficiente...

Vitor Elyseu disse...

queria só lembrar que o teatro de marionetas do Porto fica ao ladinho do pinguim...sempre na vanguarda o nosso "buraco" como alguém lhe chamou já.

GRaNel disse...

Tambem eu passei ao lado (literalmente) da exposição. Pelos vistos o nosso amigo Valter falou dela mas eu devia estar distraído. Fico com pena de não ter ido ver. De qualquer maneira deixo só uma farpa... Houve divulgação? Este é um bode expiatório que muitas vezes usamos mas costumo estar atento aos outdoors, cartazes flyers e demais material de propaganda e ou não existiu ou passou-me mesmo mesmo ao lado.