quarta-feira, 14 de junho de 2006

Monstros da Liberdade - a saga há de continuar

E pensávamos nós que a semana ìa ser mais calma depois daquilo que o nosso amigo Tó relatou. Pois, nunca poderia ser já que mesmo aqui ao lado, a uns bons milhares de quilómetros o povo Timorense continua exaltado com a sua liberdade! O que é que se passa com esta gente???? Ninguém lhes explicou o que é a Somália, Angola, Guiné, Ruanda????

Como se não bastasse esta miséria, esta semana temos mais uma de génio! Então não é que os senhores do Expresso (Francisco Pinto Balsemão, fundador do Partido Social Democrata) ofereceram no Sábado passado uma bandeirita para a malta poder comemorar os triunfos da nossa Selecção??? O problema é que estes senhores acham que a bandeira da Republica Portuguesa não é a mesma da Selecção e resolveram colocar publicidade, nos cantos, ao seu próprio jornal e ao banco dos seus amiguinhos das revistas cor-de-rosa (que ceita). Ora, diz o artigo 11º da Constituição da República Portuguesa que a Bandeira Nacional, símbolo da soberania da República, da independência, unidade e integridade de Portugal, é a adoptada pela República instaurada pela Revolução de 5 de Outubro de 1910. Eu compreendo que os senhores acreditem piamente que esses simbolos de soberania e integridade sejam eles, mas não são! Pois, é, não são mesmo! Mas talvez o Prof. Jorge Miranda, o Prof. Gomes Canotilho ou até o nosso querido professor dos serões em família lhes possam explicar isso. Venho assim, mostrar a minha total indignação pela falta de respeito a tão nobre símbolo da Nação! Sim, eu sei, que muitos não partilham desta opinião porque isso da Nação é uma treta, mas eu sou uma pessoa que gosta destas coisas e não é só para aparecer nas revistas. Até porque nem sou eu que os pune! O artigo 332º do Código Penal fala precisamente no ultraje a símbolos nacionais. E... isto são publicações que compramos facilmente em qualquer livraria, não são propriamente códigos enfiados na Torre do Tombo!

Mas o jornal que todos elogiam desta vez também passou das marcas! Estava eu muito descansadinho a ver o Irão-México e, desta forma, a cumprir o meu dever patriótico que era, no caso, analisar as tácticas destes fulgorosos adversários da selecção das quinas, heis senão quando um querido amigo chegou com o Público debaixo do braço. Ora, eu como curioso dei uma espreitadela quando de repente vejo um novo suplemento para pré-adolescentes (suponho) cujo título nem vi já que fiquei... nem sei como fiquei! Linguagem bué da jovem, necos kiduxos k mts ks e jinhos, só jinhos! Ganda cena, tão a ver! Enfim, os Morangos com Açucar têm assento na Imprensa! Agora julguem vocês pois não me apetece minimamente estar a falar na função social da Imprensa em informar e de certa forma educar o grande público dando-lhe conteúdos de qualidade de forma a que a sociedade evolua em consciência! Mais uma vez devo ser eu nesta minha linha de pensamento conservador! Talvez se defender o aborto ou a liberalização das drogas e a sindicalização da prostituição no final isto passe despercebido!

Mas isto continua! Também ainda só vamos a meio da semana!
O grande simbolo da educação portuguesa (os nossos professores) resolveram fazer greve hoje, quarta-feira, 14 de Junho. Curiosamente, ontem em Lisboa foi feriado e amanhã é feriado nacional! Deve ser coincidência! Até porque é a integridade da Fenprof que está em causa!

E com isto já estou cansado! talvez me aguente até ao fim do dia sem nada dizer. Mas se me lembrar de alguma coisa já sabem!

P.S. Já estava mesmo acabar de escrever o texto quando os senhores da sic disseram que a PSP apreendeu uma série de Bandeiras que continham publicidade estampada já que esta situação é violadora do Código Penal e até mesmo do Código da Publicidade. Mas foi só naquela zona! Pena a PSP não ter entrado nas instalações do Expresso. Não deixa de ser irónico a notícia ser da Sic!

3 comentários:

Marta Araújo disse...

Não posso deixar de concordar que se trata de um abuso - para além de ser ilegal - colocar publicidade, seja ela do que for, nos simbolos nacionais, mais concretamente, nas bandeiras. O EXPRESSO certamente que, e na minha humilde opinião, não agiu bem ao ter inserido tal «ruído» naquilo que não é um simples pano. Se calhar tudo começou de uma forma errada.Ou talvez não. O «amor» aos simbolos nacionais e à bandeira, por ventura, não terá nascido no altuta e no «campo» certo. Foi através de uma «jogada» futebolística que as bandeiras ganharam corpo, numa altura em que a informação relativa às - e respectivo significado - foi chegando em pequenas «jogadas». Isto para dizer que, e mais uma vez, aquilo que começa mal só pode acabar da mesma forma. Era suposto todos sabermos o que significa cada cor que consta da bandeira, como é que ela deve ser pendurada e coisas que tais, não era? Pensando melhor...se calhar não...

Rui Vieira disse...

Temos muitas vezes tendência para extremar posições. Particularmente não me ofende que o BES, Expresso e outras Marcas recorram a este marketing, ainda que a nossa Constituição o proíba. O problema na utilização dos simbolos nacionais não estará certamente neste tipo de utilização, mas noutro bem mais patriótico, e como temos observado escorregando para o nacionalismo exacerbado.

Claro que em última analise tenho de concordar que as marcas em causa pecaram, mas ... não será caso para grande drama, penso eu!

rodrigues76 disse...

Muito me apetecia dizer... Mas sinto-me afogar em verde e vermelho, entre hipocrisia e manipulação...