quarta-feira, 15 de março de 2006

receitas...

Conforme o combinado... finalmente tenho uns minutos para colocar as receitas que eu, a Fi e o Granel apresentamos na sessão sobre o Azeite!!

Começando pela mais simples: Bruschetti!

Tomate em pequenos pedacinhos, temperado com muito alho picado, uma abundante rama de orégãos e regado com um bom azeite (reforço o BOM, pois não é cozido e toda a mistura é contaminada pelo sabor do dito cujo). Serve-se com um pão torrado, de preferência caseiro e do dia anterior.
Instruções de utilização: conforme demonstrado na sessão

Molho Tsatsiki

Este molho tem como base um iogurte grego que encontro geralmente, e só, no Froiz (atenção: não açucarado e sem frutas secas). Alho e pepino picados a gosto. Servido com um fio de azeite. Óptimo para acompanhar carne, batatas fritas ou simplesmente pão.

Carpaccio (o primeiro a desaparecer...)

Carne ou peixe (novilho, vitela, vaca, salmão, etc) fatiada de uma forme muito subtil (para facilitar o processo, gelo um pouco a carne ou o peixe). Distribui-se sobre um prato e tempera-se com sal e pimenta qb. Ataca-se com sumo de limão (geralmente meio por prato), um fio de azeite e complementa-se com um queijo de sabor forte (parmesão, grana padano, queijo da ilha, etc), com salsa picada ou umas folhas de rúcola e, para quem gostar, uns cogumelos frescos picados.
Instruções de utilização: conforme demonstrado na sessão

Por último a Focaccia de alho.

Como repararam as quantidades para mim são um pouco relativas... mas vou tentar!

1Kg de farinha sem fermento (farinha ideal: “farina di grano duro tipo 00”)
2 chávenas de água quente
80 Gramas de fermento de padeiro (à venda em qualquer padaria ou pingo doce)
Sal, orégãos, alho e o SS (digo “Senhor da Sessão”): o Azeite

Preparação
Opção A (só para quem gosta de sujar as mãos e exercitar os músculos)
Numa chávena dissolve-se o fermento e na outra o sal.
Divide-se a farinha em duas porções, com um garfo mistura-se cada uma das chávenas com uma porção de farinha. Á porção com o sal adiciona-se orégãos e uma ½ chávena de azeite.
Fumar um cigarro ou aguardar um pouco...
Juntam-se as duas porções e amassa-se todo o preparado sobre uma superfície polvilhada com farinha. Quando se obtiver uma massa homogénea e que se solta facilmente das mãos colocar num recipiente grande (pois a massa duplica o volume). Com dois golpes marcar um X na massa (ajuda no processo) e cobrir com um pano.
Fumar vários cigarros e aguardar uma hora/duas... ... ... ...
Opção B
Para evitar todo este processo: ir a uma padaria e comprar massa para pão já preparada! (processo mais simples, porém com as suas desvantagens: não existe controlo do stress potenciado pela descarga energética no acto de amassar e não se suja a cozinha)

No entanto, qualquer que tenha sido a forma de obtenção do preparado é necessário amassa-lo de novo. Estender a massa com cerca de 3cm de altura num tabuleiro generosamente untado com o SS. Polvilhar com alho picado, regar com o SS e levar ao forno (180/200º) cerca de meia hora (ou aproximadamente 3 cigarros).
Quando sair do forno é de novo regado com SS (sim de novo)!

Bom apetite!

4 comentários:

Anónimo disse...

e qm não foi à sessão q adivinhe o modo de confecção.
então o mote deste blog é ou ñ "continua a partilhar paixões"?

Rui Vieira disse...

Assim que tiver oportunidade vou agarrar-me à cozinha e seguir as receitas. Se tiver alguma duvida, podes-me passar a receita com fotografias passo-a-passo? hehe

rodrigues76 disse...

Ó anónimo... Vê lá se assinas os posts, se não a gente não sabe a quem agradecer ou dar nas orelhas...
De qualquer forma acho que tens razão... Mas ainda assim vou experimentar isto, de cada vez que olho para este texto sinto a água a crescer-me na boca...

Jorge Carvalho disse...

Ui só dá cozinheiros! Antes de fazerem alguma coisa é melhor arranjarem o número dos bombeiros e de uma companhia de seguros.