quarta-feira, 25 de julho de 2007

Hábitos


Não sei explicar, mas como não sou religioso, e como o homem é um animal de hábitos, talvez seja do hábito. Não do hábito dos religiosos, a roupa, mas do hábito-costume, costume-costume, não costume costume, hábito em inglês, não hábito-hábito como o dos padres, mas hábito-fato, roupa... Como não sei explicar, desconverso. Típico.

Sou um homem e, por isso, um animal de hábitos, não sou religioso mas gosto de cerimónias, mesmo que ocorram numa cave a uma terça-feira à noite, e já sinto falta das cerimónias que não haverá por causa do Verão. O hábito faz o monge e eu, fazendo celibato de outros cerimoniais, era um monge participante na cerimónia das terça-feiras, das cerimónias do "celebremo-nos" e celebremos as nossas diferenças e sobretudo as nossas paixões.

Perceberam?

post de sessão para mais tarde, este tinha de o postar

3 comentários:

Marta Araújo disse...

Já desisti de explicar, aos 'outsiders', pelo menos a alguns, porque é que gosto das terças-feiras à noite, naquele sítio, áquela hora, com aquelas pessoas. Ainda para mais nos dias de fecho de edição.

Já desisti de perceber o que é que faz com que, e a exemplo da noite de ontem, tenha saído, áquela hora, do mimo. Se eu não percebo muito bem...explicar a quem está de fora ainda se torna mais difícil. Mas como uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa...certo é que fui, um bocadinho a custo, tenho de confessar... E como sempre não me arrependi. E porquê? Não é por nada. É por tudo.

È pelo sítio, pelas pessoas, pelas eternas conversas, pelas discussões, pelas cumplicidades, pela partilha, pelos momentos, pelos sorrisos, pelas gargalhadas e também pelos não 'smiles'. Pela amizade. Ponto final.

Já não estou em idade nem em fase de estar em sítios e com pessoas com as quais não me apetece estar. Mas ali apetece-me estar.

Por nada, mas por tudo. Obrigada por me ajudarem a crescer e boas férias!

jorge c. disse...

Onde é que eu já vi isto?

GRaNel disse...

Tambem eu vou ter saudades do covil. Lembraste-mo outra vez, mas de forma brilhante.

Grande abraço e beijinhos para todos/as