domingo, 22 de julho de 2007

Devaneios

Palermices, em jeito de pensamentos, - enquanto espero pela ida para um café de Sábado à noite - fruto de uns dias cansativos, melados, de expectativa, mas essencialmente bons.

Posso ter defeitos, viver ansiosa e ficar irritada algumas vezes mas, não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência. Só ontem disseram-me três vezes: 'tá com um ar muito feliz Marta!'. Sorrio e pergunto: 'então e porque não?Por que é que não devo estar? Afinal o que é ser feliz?'. Não obtive resposta, apenas sorrisos. Já é suficiente. Mas se me perguntassem a mim sobre a felicidade eu acho - sem certezas - que saberia responder. Seria mais ou menos assim: feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar-me uma autora da própria história. É atravessar desertos fora de mim, mas ser capaz de encontrar um oásis no recondito da minha alma. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de mim. É ter coragem para ouvir um "não". É ter seguranca para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...o meu eu :)

3 comentários:

GRaNel disse...

Deves ter uma casa grande comó caraças para guardar tanta pedra. lol Fora de brincadeira gostei do texto. Beijinho

Aguia disse...

Clap clap clap clap.. muito bem.. revejo-me em muitas partes do teu texto, cara amiga Marta.

A uns anos atrás tinha uma máxima sobre a ultima frase "Das cinzentas pedras que tenho no meu caminho, nasceram flores, e o meu castelo, deixou de ser cinza"

beijos... adorei

Arianrhod disse...

Como me orgulho do Eu que tens relembrado e do percurso desbravado nestes ultimos meses!!!!

Parabéns Princesa!...e obrigada pelo exemplo!

Beijo doce!