terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Ticket to ride

Como não vou conseguir ir à sessão do Vieira, com muita pena minha, deixo aqui a minha farpa da semana.

Quando eu ainda não circulava na minha super viatura pela cidade era um dos utentes habituais da STCP. Infelizmente, demorava cerca de 1h30 todos os dias (e num dia razoável) para fazer um perurso que hoje demoro 10 minutos a fazer de carro.
Ora, tal facto dava-se não pela distância mas por ter de apanhar dois autocarros de S.Mamede para a Foz. Quando eu pensava que não podia ser pior os senhores resolvem fazer uma remodelação das linhas em toda a àrea metropolitana.

Sem me querer alongar muito, digo desde já que há crianças que levam quilos de livros às costas todos os dias para a escola, que moram bastante longe, que têm de ir de pé porque 50% do autocarro são idosos que vão passear, com todo o direito, mas que para isso escolhem as horas de ponta. Digo também que há pessoas que moram na periferia, que têm de se levantar todos os dias às 6 da manhã para apanhar transportes públicos para chegarem a horas aos seus empregos, que é para depois sairem ao final da tarde, voltarem de transportes públicos, fazer o jantar e tratar da casa que muitas vezes inclui família que é para no dia seguinte voltarem à carga. Digo, também, que se não circularem autocarros na baixa do Porto eu exijo que no Dia Europeu sem carros os senhores da STCP se moviemntem no Porto e tentem ir trabalhar de transportes públicos. Mais, como é que é possível não se poder comprar bilhetes dentro do autocarro? E se eu ficar sem carro, precisar de me deslocar num dia à noite e não ter dinheiro para ir de taxi que é um serviço caro? Vão pôr postos de compra de ingressos em todas as paragens? No meio do nada? Mas os senhores pensam com o Intestino Grosso?

Se tudo isto é por causa do Metro, então acrescento ainda que não, nós não temos uma linha de metro como a cidade de Lisboa, a nossa não serve toda a gente. Por exemplo não me serve a mim porque nem há metro em S.Mamede nem na Foz e além do mais fiquei com as linhas de STCP completamente reduzidas nesse sentido, ainda mais.

Entre as coisas que Bolonha vai trazer é isto, yuppies que fazem testes nos papéis, que na prática não vêem o que se passa e brincam com as rotinas de milhares e milhares de pessoas como se fossem legos. Se isto não for alterado eu sugiro uma manifestação! É a nossa cidade que está em causa! Agora sim, a nossa Cidade!

6 comentários:

Anónimo disse...

Desculpem, estou sem carro. Não estou a brincar com o post: Estou mesmo sem carro, cheguei há pouco a casa (por causa do quimboio) e de Francelos/Valadares não há autocarros a horas decentes para me poder mandar de volta ao burgo. Beijos e abraços.
Filinto

GRaNel disse...

É desonesto acharmos e dizermos que os senhores da STCP fazem de propósito para piorar a vida dos cidadãos que utilizam os transportes públicos nas suas deslocações. E foi isso que fizeste Jorge.

Como qualquer empresa, a STCP tem de ser viável e fazer o melhor possivel com o orçamento que lhe é atribuido. Perante este cenário, só poderiam ter feito uma de duas coisas: - arrastar a situação que existia e chegar a curto/medio prazo ao colapso ou - remodelar as linhas e optimizar a rede. Optou-se pela segunda, a meu ver muito bem, e nota-se que pontualmente, os resultados não são os melhores. Jornais, televisões e outros falam já num recuo da administração quando repôs alguns itinerários. O que foi feito,é pura e simplesmente, um reajustamento natural com vista a minorar os lapsos do novo plano, que como todos os novos planos, tem falhas. É "lei".

Acho portanto, que devemos ter calma e esperar pelo desfecho da história. Nunca por nunca devemos ir para as ruas fazer aquelas "manifestações/festas/convivios" que só ridicularizam quem lá está e a própria cidade.

Rui Spranger disse...

Eu gosto de ser ridículo! Marca a manifestação que eu alinho por solidariedade.
Se a manifestação não der em nada, sugiro que venhas morar para a baixa.

rodrigues76 disse...

concordo com o jorge, mas como somos um povo de brandos costumes e gostamos de esperar pelo desfecho das coisas, vamos comer e calar como sempre, com medo do ridiculo (à francesa), acreditando na boa vontade de quem gere um Bem Público sem exigir a qualidade que nos assiste enquanto "Público"

Marta Araújo disse...

Eu sei que pode parecer mas a STCP não é um organismo cujo objectivo passa por prejudicar a vida das pessoas. Todas as reformulações correm o risco de não prever determinadas situações. Afinal esta é feita por humanos e os humanos erram. As manifestações foram já mais do suficientes para a entidade perceber as falhas. Com alguma paciência e tempo as coisas entram na normalidade.
Aqui estão as boas notícias que chegaram através de comunicado enviado aos media:

"Informação à Imprensa
A partir de hoje, quinta-feira
Novas melhorias à rede da STCP
A Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP), SA anunciou as primeiras alterações à sua Nova Rede, algumas das quais entram em vigor já a partir de hoje, quinta-feira, 11 de Janeiro. Com estas medidas, a STCP pretende colmatar os problemas entretanto detectados através da avaliação e monitorização da rede que a empresa tem vindo a efectuar.
Assim, amanhã, quinta-feira, 11 de Janeiro, a primeira viagem do 803 (Boavista – Rio Tinto), é antecipada das 6 horas para as 5,30 horas. Na linha 806 (Marquês – Av. Carvalha) haverá um retardar do fim de serviço, de forma a garantir o transbordo dos clientes da linha 205 (Campanhã – Castelo do Queijo) em especial trabalhadores do Centro Comercial Parque Nascente, para a última viagem da linha 806.
A partir de sexta-feira, 12 de Janeiro, terá início o serviço nocturno da linha 504 (Boavista – Norte Shopping), que percorrerá o bairro da Pasteleira.
No sábado, 13 de Janeiro, terá também início o serviço de fim-de-semana da linha 703 (Cordoaria – Sonhos).
A partir de segunda-feira, 15 de Janeiro, a linha 305 (Cordoaria – Hospital S. João) passa a ter uma frequência de 10 minutos desde o final da ponta da manhã até ao início da ponta da tarde.
Nos próximos dias serão anunciadas as datas em que entram em vigor os demais ajustamentos à Nova Rede já divulgados. “Os ajustamentos irão sendo efectuados, sempre que se justifiquem”, refere Fernanda Meneses, presidente do Conselho de Administração da empresa.
A STCP já deu conhecimento destas medidas às Câmaras Municipais e às Juntas de Freguesias envolvidas, bem como a representantes das populações abrangidas.
Porto, 2007-01-02
Para informações adicionais por favor contactar:
Ana Sousa (Assessoria de Imprensa) Telef: 913 466 923 • geral@prwave.pt"

Jorge Carvalho disse...

Marta, muito obrigado pela informação valiosa que nos trouxeste. Este é um excelente contributo.
Devo só dizer que também não acho que a STCP tenha como objectivo prejudicar as pessoas. Eu falo simplesmente de incompetência. Pior que um tecnocrata fundamentalista é um tecnocrata incompetente.