terça-feira, 2 de janeiro de 2007

O que é que se passa?



O que é que se passará na cabeça desta gente?
Será que ninguém entende o sentido da palavra evolução?
Pensava que estaríamos mais maduros depois de tanto erro cometido. Mas parece que não aprendemos nada e voltámos ao séc. XVII.

Devo dizer que sou contra a pena de morte na sua essência, e nestas condições então... nem comento.
Não tenho pena de Saddam, mas todos os homens devem ser julgados e sentenciados dignamente e não com uma corda ao pescoço.

Contudo não tenho muitas palavras, esperando assim pelos vossos comentários.
Já agora reparem nas semelhanças entre Saddam e Charles Manson!

4 comentários:

maria morais disse...

na história tudo é cíclico e há por aí muitos compromissos com o erro!concordo em pleno contigo!

Rui Vieira disse...

Desde o 11/9 que o mundo entrou definitivamente numa rota de regressão civilizacional. Quando cabia ao mundo Ocidental dar mostras de maturidade assistimos ao seu inverso.
Com a voz prega-se a democracia e a defesa dos direitos humanos, com a caneta assina-se torturas e execuções.

A execução de Saddam foi uma prova de arrogância quando o necessário seria justiça. Que ganhou o povo do Curdistão com o enforcamento de Saddam? Que lição aprenderam os lideres das nações totalitárias? Que autoridade tem o mundo ao não julgar os "campeões da democracia"?

Lanço aqui mais questões do que soluções, mas acredito que o mundo precisa de responder a estas e outras questões para mudar o curso da história.

GRaNel disse...

Também eu sou partidário da abolição da pena de morte. Mas é inegável que crimes deste calibre merecem sanções pesadas. Rudolph Giuliani decretou trabalhos esforçados para todos os presos por crimes de sangue e a coisa resultou até ser condenada pelas associações de direitos humanos. Resumindo, a questão é extremamente complicada e como tantos outros assuntos não é pacifica.

Lanço o desafio de um dia destes, fazermos umas "farpas" alargadas e debatermos o tema

Carmen disse...

Mais uma vez o "bicho-homem" utiliza a sua arrogância...armado num "Deus", para todos desconhecido e cada vez mais diabólico, decide "salvar" o mundo de um ser "perigoso e temível" e assim dar uma "lição" ao resto dos "bichos-homem"...
No mínimo, assustador...