quarta-feira, 29 de novembro de 2006

por mares nunca dantes navegados...

Afinal… há mundo para lá do Algarve. Um mundo fascinante e pronto a ser descoberto. Vimo-lo ontem, através de uma pequena janela que o António nos abriu.
São viagens desprovidas de banhos quentes, ar condicionado e de um tecto até… mas são plenas de emoção, riqueza cultural e porque não, de adrenalina. São as viagens em autonomia. “Com quem quero, para onde quero e quando quero”. São um modo de férias mas acima de tudo, uma paixão. E a paixão é sempre crescente; mesmo sabendo que o carro pode não voltar, que podemos ser detidos só por ter as luzes acesas (esta é só para quem foi), feitos reféns, andar perdidos, ou outras peripécias ainda mais improváveis. E isto, em viagens planeadas ao milímetro.
Passámos por estórias de festas com a população local, por manjares em barracas feitas com redes de arrasto, por tempestades de areia, por percalços na fronteira, pelo pescado da Mauritânia e por trilhos do Dakar. Sempre pela voz do António e com uma frase no pensamento… “um dia vou ter coragem de o fazer”.
Podia dizer que a água é um bem precioso, que devemos ficar no carro em caso de tempestade, que as vacinas são obrigatórias ou mesmo que o telefone satélite é bastante útil mas acho que a mensagem de ontem é maior, – existe um mundo à nossa espera e é acessível a todos… “basta” determinação.

DESLUMBRANTE – SUBLIME – GENIAL


Para informações mais detalhadas consultem o site do António em http://www.mosquitto.org/

A sessão teve a banda sonora de Ali Farka Toure. Citando o Público – “o agricultor que criava blues no Mali”. Para consulta da bibliografia http://africanmusic.org/artists/alifarka.html ou para espreitarem uma faixa http://www.artistdirect.com/nad/music/artist/card/0,,502675,00.html basta seguirem os links.

14 comentários:

Cláudia N. disse...

Mesmo antes do post digo desde já que a sessão do António foi excelente, e só tenho pena de não ter ficado até ao fim.Parabéns António por nos teres feito viajar contigo.

Cláudia N. disse...

É verdade Granel...adorei a foto.

filinto disse...

fascinante

Marta Araujo disse...

De facto foi uma sessão fantástica...

GRaNel disse...

Desculpa Cláudia, por ter mudado a foto. Mas julgo que esta é igualmente boa... e foi tirada pelo António.

Abraços e Beijinhos

Jorge Carvalho disse...

Viajo muito com os livros e com a música. No meu imaginário estão as mais belas terras e homens.
Ontem esse imaginário cresceu e fez-me ir lá, quase cheirar e tocar a terra.

Por tudo isto: Obrigado Mosquitto!

(Granel como é óbvio fizeste o post quando chegaste a casa com 10 stolis em cima! eheheheh)

Marta Araujo disse...

Todos sabíamos que esse tipo de viagens existiam. Tinhamos também conhecimento das hipotéticas dificuldades e aventuras que tal passeio poderia apresentar.
Mas, e pelo menos eu, nunca tinha ouvido a voz serena e visto o brilho nos olhos de quem conta aquilo que viveu nessas fantásticas viagens.
Tem-se a consciência que tudo pode acontecer, que se pode mesmo ir e não voltar, mas aquilo que se vê, sente, ouve e cheira é muito mais forte.
O António foi bombardeado por perguntas e como ele próprio disse podiamos ficar uma semana inteira a falar sobre assunto. A verdade é que acho que quando estiver com o António foi sentir vontade de lhe perguntar mais um ou outro pormenor relativamente às viagens que já realizou. Isto porque admiro a coragem que ele tem em arriscar e acima de tudo gabo a "bagagem cultural" que ele adquire com essas experiências. Sempre que olhar para o António direi baixinho a mim mesma:"um dia vou ter coragem...".
Obrigada sessão (e já não tenho adjectivos para a qualificar...apenas, e repito aquilo que disse presencialmente, gostei muito). A postador de serviço teve à altura ;)

Vasco Afonso disse...

Não sei foi sorte de principiante, mas a noite de ontem foi apaixonante, e para mim que sou um amante do todo-o-terreno teve um toque especial. Quero agradecer a todos a hospitalidade à qual fui sujeito, que me fez sentir como se não fosse a primeira terça feira la passada. Uma coisa é certa... não foi a última!

Rui Vieira disse...

A voz serena...
Foi uma constante na sessão do António que me perturbou. Fez-nos viajar num mundo de aventura e magia, pleno de adrenalina sem nunca perder essa serenidade. Reflexos de quem sabe o que é a verdadeira emoção? Ou de quem conhece o local e o modo exacto de descarregar o seu stress?

Parabéns também ao Granel pela brevidade e qualidade do Post.

Cláudia N. disse...

Como já disse gostei muito da sessão de ontem, porque viajar é também uma das minhas paixões, porque o deserto fascina-me e o António fez com que viajassemos com ele e sentissimos de perto todas as paisagens e situações que nos descreveu.
Gostei também muito da música de fundo, e desde já dou os Parabéns ao Granel por ter feito referência a isso com link e tudo.
António fico à espera de mais uma outra sessão tua para breve.
Granel fizeste um excelente trabalho neste post. Conseguiste captar muito bem o que vivemos ontem.Mais uma vez parabéns, e também gostei muito desta foto.

Rui Spranger disse...

... ... ... ... ... ... ... ... ... Poderia ficar aqui a deixar reticencias até ao infinito.
Na terça aconteceu algo único.
A noite prolongou-se muito para além da 1h. Não foi a primeira vez, é certo, mas nunca se esteve tantas horas a falar da paixão da noite. Acho que mais que tudo, este facto demonstra a qualidade e a verdadeira partilha de paixão que houve.
Não ficámos todos apaixonados?

hörster disse...

Bem, sou suspeita...
E desculpem-me a redundância...
Mas não poderíamos esperar uma paixão menos apaixonante (que a que nos foi apresentada na terça) quando vinda de alguém tão apaixonante como o António!...

Penso que todos nós pinguins fomos mordidos pelo mosquiTTo!

Granel, parabéns pelo post, pela foto, pelos links e pela prontidão.
5 estrelas *****!

Vitor Elyseu disse...

afinal o grande apaixonado por África e pelas palavras és tu António. Algo me dizia...
Só posso lamentar a minha ausência, fica o sabor amargo da inveja na boca...
Outras viagens com certeza aconteceram nas nossas vidas.

Anónimo disse...

Obrigada pela viagem, António! Para nós (eu e pessoas como eu, porque também as há, mas felizmente somos cada vez menos), que costumamos viajar no sofá ou nas cadeiras da esplanada a bordo de um livro,de uma música ou das fotografias que outros, que não são como nós, partilham com sorrisos iluminados, a tua sessão foi o meio de tranporte de sonho, com a cadeira das tuas palavras, à velocidade da música e movido pelas memórias que ainda se liam por dentro dos teus olhos.

Ana V. (desculpem mas esqueci-me da password...)