quinta-feira, 2 de novembro de 2006

De olhos em bico

Konichiwa,

A sociedade de hoje entrou num período de quebra de valores muito grande. O conjunto de valores que nos foi transmitido pelas gerações anteriores poderá não ter passado da melhor forma e ter-se subvertido no seu sentido primordial.
A melhor forma de recuperarmos esse conjunto de valores, muitas vezes, é olharmos para a história do mundo, para a cultura de outros povos e, com isso, aprendermos mais sobre nós próprios, porque é esse o caminho - a aprendizagem.

Foi com este propósito que na semana passada, o nosso co-pinguiniano Zé Tó nos apresentou a sua sessão sobre a Cultura Nipónica.
Com uma introdução brilhante sobre um grande país que é o Japão, falou-nos da língua, dos hábitos, de todo o contexto socio-cultural, passando também pelo desenvolvimento tecnológico. Numa viagem pela histótia do Japão, descobrimos um pouco mais sobre este país e sobre o caminho que seguiu ao longo dos séculos, desde a sua história de base até à influência Ocidental.

Após esta introdução, aquele Pinguim foi especificando a sua paixão e apresentou-nos, então, os conceitos de Mangas e Animées. A importância da introdução tem que ver com o entendimento do conceito destas duas formas de animação - tanto na BD (Manga) como em séries e filmes animados (Animée) - que estão relacionadas directamente com a história do país. Tivémos direito a uns episódios de duas séries e tudo (uma delas «O Batusai»).

Quando olhamos para o conjunto de valores que atravessa a sociedade Nipónica é, apenas, com admiração que podemos sentir e seguir como exemplo uma sociedade tão rica, na sua história e na tradição, e tão cosmopolita.

Foi esta a mensagem que me foi passada pelo Zé Tó (ou a forma como entendi a sessão dele), embora muito mais houvesse para dizer sobre uma sessão tão enriquecedora que perdurará nas nossas memórias.
Por tudo isto:

Arigato, Zé Tó Sensei


P.S.: Peço desculpa pelo atraso do post mas não tenho andado por casa e quando estou o meu computador chateia-se comigo!

4 comentários:

Rui Vieira disse...

Este post inspirou-me.
A admiração que o Zé Tó tem pela cultura nipónica é de louvar, e lamento imenso não ter estado presente, pois bem gostaria de compreender melhor os conceitos Manga e Animee.
Vejo também que o autor do Post saiu inspirado, embora neste caso espero que não em demasia. Não vá ele sentir que falhou em atrasar a publicação do post e cometer hara-kiri. ;)

GRaNel disse...

Há realmente, países que têm uma capacidade enorme de nos surpreender. E o Japão é um deles. É um povo com um sentido de patriotismo, no que a palavra tem de melhor, inigualável e que conseguiu fazer de um monte de ilhas constantemente assolado por tempestades e sismos uma potência mundial. É um exemplo que devemos seguir e perseguir...

Um abraço especial ao Zé-Tó pela sua grande estreia e outro para o "postador" Mendes. Para o Mendes segue tambem um valente puxão de orelhas pelo atraso. lol

Até à próxima terça na sessão da Martinha...

Marta Araujo disse...

Zé Tó...tenho que confessar que nunca me senti "atraída" pela cultura nipónica. Não sei explicar porquê mas certo é que sempre foi algo que nunca me suscitou interesse. Neste sentido, obrigada pela tua sessão que, graças à sua riqueza, quer a nível de conteúdo como no que diz respeito a material que nos disponibilizaste, fiquei curiosa por saber mais. Parabéns pela sessão!
No que concerne ao post...quase que arrisco em dizer que valeu a pena esperar lol obrigada Jorge pelo teu interesse e fascínio pela temática que são bem patentes na qualidade daquilo que escreveste ;)

APAREÇAM TODOS NA 3ªFEIRA, SIM?

Vitor Elyseu disse...

falta só referir que foram os portugueses os primeiros a navegar até ao Japão e que muitas das palavras que nos parecem estranhas e distantes tiveram origem na lingua portuguesa como muito bem o Zé-Tó documentou.
aquilo que eu considero primordial nos japoneses de agora e do passado é o culto da HONRA algo que se vai anulando entre nós ocidentais.
A música que acompanhou toda a sessão foi óptima.