segunda-feira, 20 de novembro de 2006

O General-II

Não posso deixar de elogiar a grande noite que o General nos ofereceu na passada quita -feira,descontraído e inspirado levou-nos para lá do habitual e isso é digno deste post.Repito que estamos perante um entertainer habilidoso e audaz,que embriaga a assistência com uma facilidade só própria das pessoas que não querem deixar de ser felizes e porque não dizer crianças a ferver de emoção.
Obrigado General em nome de todos aqueles que comigo concordaram em fazer esta demonstração de apreço e porque a música é mais bonita quando ouvida entre amigos.

6 comentários:

Marta Araujo disse...

Não posso deixar de te dar razão Vitor. Apesar de não ter acompanho toda a sessao do General da passada semana, concordo inteiramente contigo e com a pertinência deste post. Obrigada General por mais uma noite interessante mas, acima de tudo, surpreendente. Parabéns Vitor pela ideia do post ;)

Rui Vieira disse...

São as noites de Quinta-feira que me fazem sentir pobre. Talvez quando estivermos mais próximos do Natal eu possa enriquecer disfrutando da inspiração do General.

GRaNel disse...

Acredita Vieira que não perdes grande coisa. É tipo escuteiros... um bebado a fazer figuras de parvo à frente de um grupo de parvos a beber. Cenário terrifico. Safa-se por ser no covil e portanto semtimo-nos em casa...

Uma grande salva de palmas a todos aqueles que se continuam a martirizar todas as quintas com as "piadas" do gENERAL.

Vitali tali disse...

o general tem o rabo a deitar fumo.

GRaNel disse...

Comentários desses dispensam-se. Este blog tem uma cultura democrática vincada e por isso não gostamos de apagar comentários mas não hesitaremos em fazê-lo se certos "seres" continuarem a insultar as pessoas... ainda por cima de forma anónima. A cobardia nunca ficou bem a ninguem por isso meu caro... desafio-te a assinares as tuas impressões.

Aos outros, peço desculpa por este comentário, mas não podia ficar calado perante tamanha imbecilidade.

vitali tali disse...

O senhor general estava todo nu, veio um cão e mordeu-lhe a peida. ó cão isso não é pão, é a peida do senhor general.