terça-feira, 19 de dezembro de 2006

A mesma palavra que no vernáculo portuense se poderia referir ao PC, versão Carolina

Venho com uma proposta de farpa para a sessão de hoje: os jantares de Natal.

Nas duas últimas semanas antes do Natal terei, no todo, direito a quatro manjares e, também por isso, a minha farpa seria não contra os jantares mas contra os que protestam por terem tantos jantares. Numa altura em que há tantas formas de nos "desocializarmos", há tanta falta de tempo para tudo, tanta falta de paciência, não serão pelos menos estes encontros uma forma de mantermos uns laços?

Com a excepção dos jantares de empresa - que são obrigatórios e nefastos, mas até acabam por ser divertidos, quase parecem casamentos tantas são as personagens-tipo que por lá aparecem -, os jantares que amigos organizam nesta altura permitem-nos manter laços que não fosse a época - e o esforço que todos nesta altura fazemos - se iam perdendo.

Por isso a minha farpa seria para os que dizem mal dos jantares de Natal. E este post seria uma desculpa antecipada porque hoje não posso ir à sessão. Porque tenho um jantar de Natal.

A quem não vir, Bom Natal!

3 comentários:

Jorge Carvalho disse...

Aproveito para desde já desejar um Feliz Natal ao Fil.

Eu considero a época Natalícia, uma altura em que a hipocrisía sai à rua de mão dada com o oportunismo.
Não posso deixar de concordar contigo quanto a ser uma época em que se podem manter certo tipo de laços.
Porém, parece-me que o resto do ano também é uma boa altura para isso. Para ligar e dizer «então? lembrei-me de ti».

A falta de tempo é típica dos preguiçosos e desorganizados. Digo isto porque o sou. E é muitas vezes uma desculpa para não fazermos coisas e estarmos com alguém. Outras vezes é puro acto de egoísmo, que nesta quadra específica, desaparece por obra e graça do espírito santo.

Isto tudo para não não falar da compaixão pateta e das demonstrações de caridade vestidas de vermelho e dourado mas isto merecia outro post juntamente com o tema «Este ano não ofereça prendas!»

Mas nada impede de nos juntarmos e jantarmos. Qualquer forma de nos encontrarmos é sempre boa. façamos disto apenas uma oportunidade para comer e beber.

GRaNel disse...

Um grande abraço para o Filinto e para todos neste Natal.

Quanto aos jantares, nunca fui muito disso tirando o da consoada com a familia toda reunida. Mas se só nesta altura é que as pessoas fazem por se encontrar, então bora lá e sentemo-nos à mesa.

Rui Vieira disse...

Bem sei que por vezes não dedicamos tempo suficiente a todos de quem gostamos. Mas porque não aproveitar o simbolismo da época para lembrar "estou sempre disponivel, mesmo que esteja todo o ano sem te ver?"
Sim, sou adepto dos jantares de Natal. Por vezes é a única forma de encontrar e conviver com alguns amigos.