quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Da falta de respeito

É sabido que o Clube tem regras*. É sabido que não são cumpridas.
Sempre fui acusado de ser formalista em relação ao Clube dos Pinguins. Por várias vezes avisei que a quebra de regras conduz invariavelmente ao Caos. Eu não gosto do caos! principalmente quando o caos tem que ver com falta de respeito pelo próximo.

A sessão desta semana era do Vasco. Era a primeira vez que este companheiro ia apresentar. Uso o pretérito imperfeito porque não chegou a ser.
Ás 23h30 a única pessoa que se encontrava no Pinguim era eu, e até aquela hora só duas pessoas tinham avisado que não poderiam estar presentes - o Spranger e o Granel. Mais tarde o Filinto.

É inadmissível, para já não avisar, mas principalmente não avisar ou não fazer um esforço para chegar mais cedo na primeira sessão de um pinguim que faz um sacrifício em ir todas as Terças porque trabalha no dia seguinte de manhã cedo.
Saí das aulas às 21h30 e comi à pressa para poder estar no Pinguim antes das 22h30. Sabia que a Sessão poder-se-ia alongar.
O Vasco poderia ter ficado em casa porque se encontrava cansado. Mas foi porque se tinha comprometido a apresentar.

A minha revolta neste momento é grande, daí a agressividade das minahs palavras.
Não há desculpa possível para às 23h30 estarem 2 pessoas para uma sessão, sendo uma delas o apresentador estreante.

Já se discutiu regras mil vezes. Deixa-se sempre para trás porque parece ser incomodativo. O Vieira e a Cláudia não vêm às sessões por causa da hora. Ao longo do tempo assim foi acontecendo. Nem toda a gente tem uma vida folgada como eu, é certo. Mas há limites! Há telefones, há blogue, há e-mail, mas acima de tudo há regras que se baseiam no respeito mútuo e que começa a perder-se.

  • *A manutenção da inscrição está sujeita ao princípio da assiduidade.
  • O Clube reúne no Pinguim Café, todas as terças-feiras, às vinte e duas horas e trinta minutos. Salvo excepções, a sessão terminará à meia-noite.
  • As sessões funcionam com base no princípio da rotatividade entre os membros
  • O respeito e o bom-senso são obrigatórios para todos os sócios.

P.S. Para a semana não poderei ir, mas espero que esta conversa não fique por aqui.

10 comentários:

Marta Araújo disse...

Cheguei à hora que pude (23h35, mais coisa menos coisa) porque há malta que trabalha e tal e que não pode estar no Pinguim à hora combinada. Mas disso toda a gente sabe e não me parece que seja isso que esteja em causa...

Não me parece ainda que haja falta de respeito, pelo menos intencional, de quem quer que seja. Parece-me que há coincidências infelizes (nomeadamente de um conjunto de pessoas que se encontra doente) e, possivelmente, conceitos - nomeadamente no que ao Clube diz respeito - que devem, digo eu, ser repensados.

Claro que não há dúvidas relativamente ao facto de a situação ter sido desagradável.

Anónimo disse...

A Marta tem razão. O Jorge tambem. Tal como a tenho eu (ao longo do tempo), o Vieira, o Rui, o Àguia, o Filinto, a Helena, o/a... Possivelmente já a tiveram outros antes!!?!!

Vamos é pensar construtivamente, será que não é a hora de reformular alguns dos conceitos?

Esta não é a primeira versão, todos o sabem, e nunca haverá a ideal...

Abraço para todos desculpem a frontalidade.

filinto disse...

Pelo que percebi dos comentários, não era o único adoentado. A mudança outonal pode ajudar a explicar alguma coisa. Vou reler os principios e lembrar os debates anteriores, depois mando o meu bitaite.

Ao Vasco reitero o pedido de desculpa, mas o Sinotab não funcionou como eu esperava.

Mosquitto disse...

Mea culpa por não ter avisado. A todos, o meu pedido de desculpas.

Um abraço

Rui Vieira disse...

Partilho da frustração do Jorge, o que me leva a compreender o estilo inflamado do seu post. Também me sucedeu o mesmo, noutros momentos.
Não posso no entanto deixar de mostrar também compreensão pelos ausentes e recuso-me a "crucificar" quem cometeu o pecado de não avisar.
A sessão de ontem, que lamentavelmente não ocorreu (e pela qual também peço desculpas ao Vasco) tem a virtude de alertar todos os membros para a necessidade da assiduidade.
Já se percebia, como de resto acontece em qualquer associação, o risco de não haver um número suficiente de participantes, daí a recente campanha "venham mais cinco".
Não creio ser a melhor via alterar os princípios do Clube. O que se deve é solidificá-los. Interiorizar a necessidade de chegar cedo, compreender aqueles que por imperativos vários só podem chegar mais tarde, e simultaneamente intensificar a captação de novos membros.
Retomando o primeiro parágrafo, o Jorge tem todo o direito em mostrar a sua indignação, é sinal da sua entrega ao Clube. Mas é importante ter presente que isto não é o fim do Clube. É um tropeção. Algo indesejável, mas que com a Paixão que todos sentem pelo Clube será facilmente ultrapassado.
E já que tenho andado por terras beirãs, um grande Bem Haja para todos.

Rui Spranger disse...

Apesar de ter faltado e apesar de ter avisado não posso deixar também de me sentir culpado, embora entendo que é obvio que é impossível não faltar nunca. Há sempre imponderáveis e vidas privadas. Se a memória não me falha, esta foi a primeira vez e, ao fim de dois anos, que tal aconteceu. Claro que isto obriga a uma séria reflexão. Todos nós vamos falando regularmente e concerteza que naturalmente nascerão algumas ideias, propostas e soluções.

Agora, se me permitem, gostaria de fazer um reparo. As regras só foram criadas porque o Clube dos Pinguins pretende ser um clube aberto a todos e em que todos são bem vindos. As regras servem sobretudo para que os novos membros percebam imediatamente quais são os moldes e o que é que se pretende com o clube.
O problema não está nas regras, está no facto de o clube se ter tornado num clube fechado. Há necessidade de novos membros e a campanha "venham mais cinco" é o primeiro passo. Mas não chega. O "boca a boca" é a melhor publicidade e temos que nos empenhar pessoalmente nisso e tentar atrair as pessoas que nos rodeiam. Afinal, foi assim que o clube cresceu.

Para terminar e, apesar da impetuosidade do post, quero saudar o Jorge por todo o empenho e quero também juntar-me ao coro e pedir desculpas ao Vasco que espero não se deixar traumatizar por este incidente lamentável mas que não foi de forma alguma, (da parte de ninguém!), intencional.

smartdrink disse...

Não têm que pedir desculpas. Há coincidencias e esta foi uma delas. Calhou não virem no mesmo dia, por motivos varios. Compreendo há-de haver outra oportunidade. Acho que não vale a pena estar a fazer um drama disto. Abraços a todos

jorge c. disse...

Assino por baixo os comentários lúcidos do Rui S. e do Rui V.

GRaNel disse...

Como é óbvio junto a minha voz ao coro de desculpas. Não podia mesmo ir, estava com febre e tinha de estar muito cedo na quarta em Aguada. Todos nós temos as nossas vidas e os nossos afazeres. Mas estou certo que tambem todos gostamos de nos reunir à Terça no Pinguim. O que se pede é apenas um esforço suplementar para que possamos estar o mais cedo possivel. Se pudermos, devemos estar cedo, se não pudermos, estou certo tambem que todos compreenderão.

Até terça, às 22 e 30.

jorge c. disse...

O Anónimo é um tal de Paulo Pires, homem trabalhador que madruga como poderão ver pelas horas do comentário!