terça-feira, 24 de janeiro de 2006

Uma Questão de Bom Senso II

É mais uma chamada de atenção aos vários e-mails fraudulentos que circulam pela net...
Duvido que este e-mail tenha sido mesmo enviado pelo Director do Instituto Português do Sangue, mas o conteúdo da mensagem continua a ser credível e racional, acima de tudo.


"A Senhora é mais uma das pessoas de boa-fé que está a ser enganada por "gente" sem escrúpulos e que brincam com coisas muito sérias. Lançam na rede dos e-mails um pedido FALSO, feito ao jeito de "cortar-o-coração-do-menos-sensível", provavelmente para se deliciarem com a rápida "bola-de-neve" que um apelo destes origina e o envolvimento de tanta gente a querer acudir por natural solidariedade humana.
Todos os e-mails a pedir sangue são FALSOS; são produzidos e libertados em anonimato, dando referências FALSAS (por ex.: telemóveis com números não atribuídos ou inactivos, direcções que não existem, nomes falsos, doentes que nunca existiram, em hospitais que nunca os tiveram. etc.). E este, neste caso, não tem referências: nome? Família? Hospital? O número de telefone, ali indicado, está inactivo. Trata-se deste caso como? UMA PRAGA...!!! UMA BRINCADEIRA DE MUITO MAU GOSTO...!!! O Instituto Português do Sangue tem toda a responsabilidade de conseguir os componentes sanguíneos para os doentes e traumatizados , que daqueles precisam. E tem reservas de sangue para isso. E quando não, tem mecanismos de encontrar e alcançar esse sangue na Rede Nacional de Transfusão de Sangue. Não se pede sangue à toa por e-mail. Temos, felizmente, organização nacional bastante para suprirmos dificuldades momentâneas.
De resto o grupo de sangue B Rh-, nem é tão difícil, assim, de conseguir e um bébé só consome pequenas quantidades, de cada vez, de uma unidade de sangue dada por um dador, em função do seu próprio tamanho. Desculpe a extensão deste texto e peço a V. Exa. que, dentro do que lhe for possível, contrarie e informe os incautos, que caem de bom coração nesta iniciativa.

Com os melhores cumprimentos,

José d'Almeida Gonçalves, Director
Instituto Português do Sangue "

1 comentário:

rodrigues76 disse...

A velha questão das mensagens em cadeia... Que apesar de ser um fenomeno fabuloso, quando mal utilizado é incontrolavel. De qualquer forma sinto-me tentado em descobrir a autenticidade desta mensagem...