segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

A música das cores e formas...

Antes de iniciar o post da sessão queria pedir desculpas pelo dia tardio em que ele está a ser postado.

Bem, com fumo ou sem fumo, ninguém cala as nossas paixões ( Vasco)... É este o inicio deste post, visto que esta sessão do Clube foi marcada pela nova lei nazizoide que em todos os aspectos transforma a nossa vida boémia.

Mas vamos ao que importa a sessão...

E mais uma vez o Rui trouxe uma paixão musical, e que paixão... sim senhor... Aos ritmos de Eriti kurva muusika ansambel, lá se foi falando de como este som inspirou o nosso amigo e camarada Pinguim para dar som a uma peça.

E meus amigos, o som que ouvimos na terça-feira transmite cores, sabores, sentimentos e faz-nos voar pelos mares e oceanos da imaginação.

Deixa o nosso corpo colado a cadeira enquanto as nossas mentes vagueiam esfomeados em busca do alimento da alma, o alimento da criatividade.

Assim sendo para aqueles que habitaram a sala das arrumações ( sim nada de cave esta semana), fechem os olhos e tentem reviver o som da última terça, e para aqueles que não estiveram lá, sofram.. pois o que se ouviu nessa noite, foi a magia de uma música que nos abraça e nos deixa vivos, vendo cores e formas na vastidão de nossos olhos fechados.

Muito, mas muito, mas mesmo muito obrigado Spranger.

4 comentários:

Cláudia N. disse...

por aquilo que me transmitiste com o teu post essa sessão soube-me a um gelado fresquinho num dia quente de verão. gostei muito do modo como escreveste, e as escolhas musicais do Spranger são sempre fantásticas e já agora na quinta, sexta e sábado tudo ao Teatro da vilarinha...

jorge c. disse...

Eu adorei! Fez-me andar por ali a viajar! Obrigado ao Rui!

Águia, és um palhaço e todos os dias rezo um bocadinho para que te prejudiques!

GRaNel disse...

É verdade que estamos em casa emprestada, que tems aparecido poucos, que os cigarros são à varanda mas pqp, continuamos a espalhar paixões todas as terças.

Parabéns Pinguins.

Rui Vieira disse...

e quando as palavras saiem assim tão belas é porque a paixão nos tocou...