quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

A matéria dos Sonhos

Somos pequenos e gostamos da fantasia. Carregamos com ela a nossa vida inteira num género de complexo Peter Pan. Alimentamos os sonhos com a magia que nos trouxe a televisão: os filmes, os desenhos animados, a publicidade, as cantigas. Deslumbramo-nos nas salas de cinema e arranjamos ídolos que ficarão para sempre na nossa memória a cantar bonitas canções de paz e amor.
Não pensem que este meu colorido é falso! É o colorido dos sonhos e de quem os quer concretizar. Voar na bicicleta, entrar na casa de chocolate, construir castelos e lutar contra os dragões. E por trás, alguém canta docemente o tema principal.
Mais tarde vêm os amores e desamores da juventude e as canções mantêm-se lamechinhas como deve ser, senão tudo perdia a piada.
Depois crescemos e um dia entramos numa sala para ver um rapazinho cantar do fundo do coração a banda sonora dos sonhos - nossos e dele.
Ontem essa magia andou algures nos nossos olhos enquanto viamos o Rufus Wainwright a cantar a July Garland na cave fumarenta do Pinguim. O Granel levou o DVD e eu fui falando do cantor e das cantigas. A paixão é conjunta e acho que valeu a pena o improviso.



Rufus sings July at the London Palladium

8 comentários:

Rui Spranger disse...

Fico contente por saber que o Clube desceu à fumarenta cave do Pinguim. Tenho pena de não ter estado mas estava a trabalhar para o proximo Circunvalação.
Gostei muito de lêr este post. Jorge, estás realmente de parabéns (apesar dos elogios fazerem-te mal).
O Granel também está certamente de parabéns pela sua participação na sessão. Nunca imaginei que pudessem partilhar uma paixão. Pergunto-me se não terá havido troca de galhardetes entre os dois.

Filinto disse...

Os desentendimentos entre os dois são um verdadeiro show-off. Quando estão os dois é uma festa. E não quero dizer mais do que o que disse, não me entendam mal.

GRaNel disse...

Tenho pena que não tenham estado mais na cave "deliciosamente" fumarenta do Pinguim. No entanto, o serão valeu. Informal e descontraído. O pior foi no outro dia de manhã. Parecia um filme de terror...

Otília disse...

Tinhas me dito que a sessão era tua...
Não me surpreendeu a sonoridade (sempre te disse que eras demasiado novo para algumas das tuas preferencias musicais), era a tua sessão!
Foi engraçado perceber que não és o unico...

E melhor ainda poder sentir a magia de que são feitos os sonhos e as bandas sonoras das vidas...

Parabens a ambos e obrigada, afinal houve sonho na cave fumarenta do Pinguim...

Beijinhos

Rui Caetano disse...

A matéria dos sonhos são os nossos quereres e ambições.

Rui Vieira disse...

O tema seleccionado é provavelmente a 2ª melhor versão de "somewhere over the rainbow". Em 1ºestá o Blixe Bargeld.
Mas digno de registar é essa viagem conjunta que fizeram pela terra dos sonhos. Já vos imagino de mão dada por esses céus trocando planos de conquista dos mundos.
Brincadeira aparte, é bom saber que a magia e a paixão regressou à cave fumarenta.
Obrigado por continuarem a partilhar.

Aguia disse...

Realmente um fechar de olhos e navegar pelos mares do sonho, guiados pela magnifica voz de Rufus.

Exelente sessão :)

Ab

jorge c. disse...

Por acaso, Vieira, prefiro a versão do Keith Jarret no La Scalla. Mas esta versão está aqui porque o espectáculo era sobre temas interpretados pela July Garland.